No final de 2018 participei como revisor técnico da tradução da 10a edição do livro “Engenharia de Software” do Ian Sommerville, editado pela Pearson. A revisão foi bastante trabalhosa, mas gratificante – até porque o Sommerville é um pesquisador de Engenharia de Requisitos, assim como eu. Fiquei bastante satisfeito com o resultado – e espero que os leitores também tenham ficado! Agradeço profundamente aos demais envolvidos pela Pearson neste projeto.

Uma das principais dificuldades foi escolher a melhor tradução para os termos. É comum na área de computação – especialmente em blogs – o uso de termos em inglês, apesar de existirem termos perfeitamente adequados em português. Um exemplo é runtime; porque não usar “tempo de execução”? Seria muito cômodo usar o termo em inglês – talvez poucos reclamariam – mas, definitivamente, não seria uma boa tradução.

Para alguns termos foi bastante desafiador chegar à tradução mais adequada. Por exemplo, há o clássico problema da tradução de security e de safety. Em casos como esse, conversei com outros especialistas para encontrar o termo mais adequado (agradeço aos profs. Drs. João Batista Camargo Júnior, Marcos Antônio Simplício Júnior e Eduardo A. P. Alchieri, este último por uma consulta por e-mail) . Também usei normas ABNT, livros sobre o assunto específico (por exemplo, o livro dos profs. Drs. Márcio Delamaro; José Carlos Maldonado e Mario Jino de 2016 sobre teste de software para termos dessa área) e guias importantes da área (Guia do Scrum, Glossário do IREB etc.). Também me baseei em listas de tradução de outros autores (do prof. Dr. Fábio Kon e do prof. Dr. Carlos Maziero). Ah, no caso de security e safety usei “segurança da informação (security)” e “segurança (safety)” – sim, com os termos em parênteses.

Algumas traduções ficaram diferentes das usadas pela edição anterior (a 9a), a qual foi revisada pelo meu colega, o prof. Dr. Kechi Hirama. Não foi fácil decidir mudar essas traduções, mas achei importante fazê-las (por exemplo, no caso de security e safety). Temo que isso gere algumas confusões – em especial aos professores que precisam atualizar o material de aula -, mas tenho certeza que será positivo.

Para ajudar outros tradutores e justificar aos leitores a razão das traduções, coloco aqui a tabela completa de tradução que montei durante a revisão.

OriginalTraduçãoFonte
activity diagramdiagrama de atividades  
agile software development methods métodos de desenvolvimento ágil de software WBMA / AgilCoop
aplications aplicações  
application domain domínio da aplicação  
architectural design projeto de arquitetura  
array vetor  
ATM caixa eletrônico  
attacker atacante Goodrich, M.T.; Tamassia, R. Introdução à Segurança de Computadores. Bookman, 2013.
avoidance prevenção  
baseline baseline ISO 12207
black-box test teste caixa-preta Delamaro; Maldonado e Jino (2016)
brownfield brownfield  
buffer buffer  
buffer overflow estouro de buffer https://www.symantec.com/pt/br/security_response/glossary/define.jsp?letter=b&word=buffer-overflow
build build (se produto) / versão / construção (se processo) ISO 12207
business applications aplicações corporativas  
business process processo de negócio  
business systems sistemas de negócio  
business value valor de negócio  
capability maturity maturidade da capacidade SOFTEX. Guia Geral MPS de Software. 2016.
change proposal proposta de mudança  
change request solicitação de mudança  
check conferir, examinar, checar  
check in check-in / fazer check-in  
check out check-out / fazer check-out  
checklist checklist Houaiss (checklist é uma palavra válida)
checkpoint checkpoint  
checksum soma de verificação (checksum)  
class diagram diagrama de classes  
cluster cluster  
collective ownership propriedade coletiva  
commit efetivar (commit)  
compliance conformidade  
compromise conciliação / solução conciliatória / acordar  
computationally intensive computacionalmente intensivo  
computer based systems sistemas computacionais  
confidentiality confidencialidade  
configuration management gerenciamento de configuração (de configuração: ISO 12207)
consistent consistente  
constraint restrição  
critical region região crítica  
cyberattack ciberataque  
cybersecurity cibersegurança  
data feed feed de dados  
database schema esquema de banco de dados  
deliverables entregáveis  
delivery entrega  
denial-of-service negação de serviço  
dependability dependabilidade (dependability) NBR IEC 60300-1 (2009), Sugestão do prof. Dr. João Batista Camargo Júnior
dependable considerando a dependabilidade / sistemas confiáveis Não traduzir diretamente (sugestão do prof. Dr. João Batista Camargo Júnior) / prof. Dr. Eduardo A. P. Alchieri (SBC)
deploy implantar  
design projeto / projeto (design)  
development testing teste de desenvolvimento  
dispatcher despachante Tanembaum e Bos (2015)
disposal desativação NBR ISO 12207 (2009)
download baixar  
downtime tempo de parada  
dynamically typed languages linguagens dinamicamente tipadas  
elicitation elicitação  
embedded embarcados  
emergency fix correção de emergência  
emergent emergente  
Enterprise Resource Planning (ERP) systems sistemas ERP / planejamento de recursos empresariais (2a: site do SAP)
enterprise systems sistemas corporativos  
equivalence partition partição de equivalência  
equivalence partitioning particionamento de equivalência Delamaro; Maldonado e Jino (2016)
Extreme Programming Progração Extrema  
facility recurso / instalação (quando se refere a ambiente físico)  
failure falha NBR ISO 25000 (2008), Delamaro; Maldonado e Jino (2016)
fault defeito NBR ISO 25000 (2008), Delamaro; Maldonado e Jino (2016)
fault tolerance tolerância a defeitos  
fault-free livre de defeitos  
feature característica / característica (feature)  
feedback feedback  
field-programmable gate arrays matrizes de portas programáveis em campo Tradução do Tocci, Widmer e Moss (2011)
framework framework / arcabouço  
gateway gateway  
go live colocar em operação / colocar em produção  
goal meta  
guideline diretriz  
hard real-time system sistema de tempo real crítico Tanembaum e Bos (2015); Carlos Maziero
high-level alto nível  
Host/target Host/target  
I/O E/S  
IDE IDE  
implementation implementação  
input entrada  
iterative iterativo  
key phrase senha  
laptop notebook  
loosely coupled fracamente acoplados  
mainframe mainframe  
maintainability manutenibilidade NBR ISO 25030 (2008)
malware malware NBR ISO 27002
management gerenciamento PMBOK
manager gerente  
milestone marco MS Project
misuse case caso de mau uso Orientado do prof. Dr. Julio Leite
model checking verificação de modelos  
model-driven engineering engenharia dirigida por modelos  
N-version programming programação N-versões  
object code código objeto  
object-oriented design projeto orientado a objetos  
off-the-shelf de prateleira  
open source código aberto (open source)  
open source development desenvolvimento de código aberto (open source)  
output saída  
overhead sobrecarga  
pair programming programação em pares  
peer review revisão por pares  
perfective (maintenance) perfectiva  
persistence persistência  
pipe and filter duto e filtro  
pipeline pipeline  
plan-driven process processo dirigido por plano O plano dirige o processo (“dirigido a plano” é popular, mas inadequado)
platform independent model modelo independente de plataforma  
portable portável  
proceedings anais  
product backlog backlog do produto Guia do Scrum (2017)
product owner Product Owner / Product Owner (dono do produto) Guia do Scrum (2017)
prototyping prototipação  
quality assurance garantia de qualidade (de qualidade: NBR ISO 12207)
quality control controle de qualidade  
quality management gerenciamento da qualidade (da qualidade: NBR ISO 12207)
Rational Unified Process Rational Unified Process Nome de um produto
rationale racional  
real-time systems sistemas de tempo real  
refinement-based development desenvolvimento baseado em refinamento  
release lançamento / lançamento (release) Livro: Entrega contínua
reliability confiabilidade NBR ISO 25030 (2008)
requirements management gerenciamento de requisitos  
requirements specification especificação de requisitos (fase) / especificação dos requisitos (artefato)  
retirement desativação NBR ISO 12207 (2009)
reuse reúso  
rich interface interface dinâmica  
runtime tempo de execução  
runtime system sistema de execução  
safety segurança (safety) Sugestão do prof. Dr. João Batista Camargo Júnior
safety critical control systems sistemas de controle críticos em segurança Sugestão do prof. Dr. João Batista Camargo Júnior
safety critical systems sistemas críticos em segurança  
scale up escalar  
Scaling out escalar horizontalmente  
Scaling up escalar verticalmente  
scrapped descartado  
Scrum team time Scrum Guia do Scrum (2017)
ScrumMaster Scrum Master Guia do Scrum (2017)
security segurança da informação (security) Sugestão do prof. Dr. Marcos Antônio Simplício Júnior
semantic data model modelo semântico de dados  
semaphor semáforo  
service-oriented orientada a serviços  
service-oriented software engineering engenharia de software orientada a serviços  
servicing em serviço  
soft real-time system sistema de tempo real não crítico Tanembaum e Bos (2015); prof. Dr. Carlos Maziero
software as a service Software como serviço  
software requirements requisitos de software  
software-intensive systems sistemas intensivos de software NBR ISO 12207 (2009)
sprint sprint Guia do Scrum (2017)
stakeholders stakeholders Glintz, M. A Glossary of Requirements Engineering Terminology. IREB, 2012.
stand-alone stand-alone  
state chart (UML) diagrama de máquina de estados UML 2.5.1 / Wazlawick (2011)
state diagram diagrama de máquina de estados  
stateful com estado  
stateless sem estado  
statement comando (quando relativo a um comando do código fonte)  
step passo  
stub stub  
system boundary limite do sistema Glintz, M. A Glossary of Requirements Engineering Terminology. IREB, 2012.
system requirements requisitos de sistema  
team time  
template template  
test-driven development desenvolvimento dirigido por testes  
test-first development desenvolvimento com testes a priori (test-first development) prof. Dr. Fábio Kon / WBMA
threads threads  
throughput vazão (throughput)  
timestamp timestamp  
time-to-market tempo de lançamento do produto no mercado (time-to-market)  
timing analysis análise temporal  
token token  
top-down top-down / top-down (de cima para baixo)  
trust confiança  
Uniform Resource Identifier Identificador de Recurso Uniforme (o identificador de recursos que é uniforme) http://www.ietf.org/rfc/rfc2396.txt
unit testing teste de unidade NBR ISO 12207 (2009), Delamaro; Maldonado e Jino (2016)
upload enviar  
user interface interface com o usuário  
user requirements requisitos de usuário  
user stories histórias do usuário  
user testing teste de usuário  
viewpoint ponto de vista  
wearable device dispositivos vestíveis (wearables)  
web service web service http://www.w3c.br
web-based system sistema web  
white-box test teste caixa-branca  
wicked problem problema traiçoeiro Lessa (2013)
workflow fluxo de trabalho  

Qualquer coisa é só entrar em contato comigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*